terça-feira, 26 de julho de 2011

1ª carta para o teu melhor amigo/a

Eu vou fazer-te esta carta porque acho que mereces saber aquilo que sinto:
Não sou a amiga perfeita e cada pessoa comete os seus erros, e faz as suas asneiras, mas a verdade, é que as vezes eu erro e nem me dou conta que te magoo, ou que magoo outras pessoas por te ter mais perto de mim. Para mim, és muito mais que uma amiga, e guardo tudo vindo de ti, e todos os gestos e carinhos que me dás. Usas sempre o teu "arco" como suporte, para me defender de tudo e todos, e sabes? Acabas sempre por seres tu a perderes, e eu a ganhar. Ou melhor, não diria ganhar. Tens um feitio dificil, mas acredita que não me importo de ouvir os teus sermões, ou então ter o teu abraço aconchegante. Gosto de ti de todas as formas, e tudo o que faço por ti tem uma razão, tudo aquilo que te digo é para te dizer bem como este pequeno mundo nos sabe fazer sorrir num dia, e noutro, deitar e levar tudo o que mais gostamos. Quero fazer-te ver que isto aqui, é feito de pessoas (se é isto que posso chamar) más, e que nos estragam a vida. Falo nisto, no geral, como é obvio. Sei que também sofres, que também tens os teus dias piores, mesmo que me olhes com os teus olhinhos azuis e digas que não com um sorriso que desconheço totalmente. Já te vi sofrer muito, já vi as tuas lágrimas, e acredita que faria tudo para que isso nunca tivesse acontecido, faria tudo para sorrisses sempre, e que não deixasse ninguém afectar-te. Tens os teus dias de stresse e de angustia, tens tudo como uma pessoa normal. Admiro-te, por as vezes, eu já nem ter sequer forças para lutar contra todos, e não saber o que dizer, e tu chegares ao pé de mim, e me segurares a mão e apertares com toda a força que tens para me fazer ver que ainda existe coisas que nós podemos fazer, ou viver. E sabes? Sei-te de cor e salteado. Arrisco dizer que te conheço como a palma da minha mão. Um dos meus piores medos é ficar sem as pessoas de quem gosto, e toda a gente sabe disso. E tu, melhor que ninguém. Sabes sempre ver quando estou bem ou mal, mesmo apenas por um só olhar. Sabes ver quando digo a verdade, ou quando até me minto a mim própria. As vezes pergunto-me como é que sabes mais de mim, do que eu... Mas a verdade é mesmo essa. Quando, em dias, eu nem me reconheço, tu chegas com o teus "discursos" e acordas-me para me fazer ver que não estou sozinha nisto, nem em nada. Ou seja, vejo que te tenho comigo, e que tu nunca te vais embora. Ouve-me.. Eu nunca me vou embora, por mais problemas que tenhamos, por mais discussoes e brigas que haja entre nós, ou que não seja connosco e nos metam no meio, e saiamos prejudicadas ou magoadas. Sei bem que as tuas coisas, ou os teus gostos são muito distintos dos meus, e espero que não seja isso, nem outra coisa qualquer que nos separe. Talvez, não deveria dizer isto, mas afinal de contas, isto serve mesmo para dizer tudo o que temos em nós, e eu digo. Eu sinto que ás vezes sou um peso nas tuas costas, e que não te deixo viver certas coisas que eu não gosto de viver, que não te deixo estar com outras pessoas de quem tu gostas. Por isso quero que saibas que isto pode mudar, e depende de ti, porque nesta "relação", ninguém manda, e cada uma é livre de fazer aquilo que acha certo. Independentemente das tuas decisões, eu estarei aqui para ti para te fazer aquilo que acho mais certo para ti, ou para nós. E eu não me vou embora, e se um dia for, eu prometo-te que tu vais ser a primeira pessoa com quem eu vou ter para me despedir, e dizer: nunca me esquecerei de ti, nem de nós. Amo-te melhor amiga.

3 comentários:

alguém (: disse...

amo-te!:)

sofia coelho disse...

pois eu percebo e concordo contigo, só que nesta altura custa. mas obrigada pela força :)

sofia coelho disse...

tens razão querida :)