sexta-feira, 14 de outubro de 2011

i'm.. okay.

Miúda. Uma grande miúda, e não passava disso. Rabugenta, e presistente, e acima de tudo teimosa e orgulhosa. Tenta sempre fazer o melhor, e no fim acaba sempre tudo mal, sonha de mais e depois quer encobrir e fingir sentimentos mal cuidados. Mas o pior é que ela só quer cuidar dos outros, só quer o bem e tratar daquilo que está por dentro e fora das pessoas que apoiam, que dão valor. Não digo que a frieza continuou naquele coração estupido e mole, que derreteu no passado, que passou de apaixonado a amassado. É lógico, fugiu. E não era possivel dizia ela. Mas o que passou não volta, e talvez isso seja o único motivo que desfriou tudo o que tinha nela. Mas agora, a conclusão é: essa miúda sou eu.
(abre os olhos, mariana).

2 comentários:

Francisca disse...

E' um bocado difícil :c mas pronto,nos conseguimos <3

SofiaSilva. disse...

o pior mesmo não é desistir ou lutar até ao fim. o que dói mais é não saber qual delas será a melhor opção: desistir ou lutar? e é esta incerteza e esta espera que me está a matar aos poucos, a cada dia mais que passa. e sei que, este amor, ainda tem muito que crescer e muitos frutos que dar.. mas e se eu estiver à espera de uma coisa que me vai magoar? se estiver à espera da dor? da desilusão? digo, não é desistir ou continuar a lutar, mesmo sofrendo.. é não saber o que fazer e esperar por algo que pode nunca vir.
obrigada amor.