domingo, 8 de abril de 2012

17* carta a uma pessoa que conheças e que esteja numa má fase

(Já não fazia estas cartas há imenso tempo, mas decidi voltar a fazê-las.)
Eu vou dirigir esta carta aos meus pais mas mais apontada para a minha mãe.
Queria dizer-te que me partiste o coração, e agora só me apetece atirar-te isso á cara. Mas felizmente, fiz-me mulher e tenho o meu orgulho e a minha dignidade, e não o vou fazer, porque sabes... Eu não sou como tu. Pode doer-me mas vou continuar com isto cá dentro. Tudo o que me fizeste até agora tem vindo a destruir um pouco aquilo que eu sinto por ti, e tudo aquilo que por anos e por amor, tu construiste. Tenho um nó na garganta, e a cada palavra que soletro e escrevo, as lágrimas caiem continuamente no meu rosto. Simplesmente porque eras a única pessoa que eu alguma vez pensava que me desiludiria desta maneira.
Enquanto que por um lado, a relação com o meu pai fortaleceu um pouco, o que eu já desejava há imenso tempo. Somos iguais, e disparatamos por tudo e por nada é verdade, mas se calhar é isso que faz dele uma coisa inexplicável na minha vida. O medo que tenho de vos perder, ou de vos imaginar sem o coração um do outro, é um mundo no qual onde eu não quero viver. Onde eu não suportaria sequer pisar. Ás vezes odeio-vos por amar-vos demais... Sei que não devia, mas neste momento, desaparecer daqui era o melhor para mim, para o meu coração. Espero sinceramente que tudo se resolva, e encontrem as respostas para as vossas perguntas e as vossas discussões.
Da vossa eternamente,
Mariana.

5 comentários:

catarina disse...

amor estou sempre aqui e sabes bem disso, para o que precisares be.

humana inconsciente disse...

tem calma. tudo se irá resolver, e sabes bem que estou aqui. força amor, mantém-te firme*

a. disse...

de nada*

Rita disse...

Força!

humana inconsciente disse...

sim meu amorzinho! :)
obrigada<3