quinta-feira, 26 de abril de 2012


Por vezes na imensidão dos meus pensamentos e na escuridão do meu pequeno quarto, sinto o aperto do peito, e machuca. Quando tudo está a desfalecer e desaba sobre a minha pessoa, só desejo que me protejas seja lá onde estiveres, porque eu tenho a certeza que se cá estivesses me suspiravas as melhores palavras. Sempre o fizeste. O chão quase nem me segura quando penso na ausência do teu corpo, do teu cheiro, do teu olhar. Oh... Como eu amava que cá morasses, como eu gostava que simplesmente respirasses. Não é só a mim que as tuas palavras sábias e as tuas doces histórias fazem falta. Deixaste cá um buraco que ninguém conseguiu tapar, porque sim, passado mais de dois anos, ainda nem o teu nome digo sem que o meu organismo agarre as minhas loucas e desarmadas lágrimas. Foi tudo tão repentino, e não.. Não consigo entender o facto de não teres aguentado. Aguentavas tudo, eu sei que aguentavas, e sabes? Tornei-me tanto de ti, avó. Minha bisa-avó.. Forte como o ferro que só derrete com o fogo dos corações. A tua ausência mata-me e estás tão longe, que sinto o buraco que cá deixaste cada vez maior.

8 comentários:

Patricia Laranjeira disse...

de nada querida :)

Ana Margarida disse...

Minha querida, ela poderá não estar fisicamente presente, mas no pensamento está sempre contigo, tenho a certeza. Sê forte, mereces tudo de bom.

humana inconsciente disse...

obrigada amorzito!
adorei, e sabes que estou sempre aqui!

nês disse...

que lindo, estou-te a seguir!

Mariana disse...

Adorei :)

mariaa disse...

gostei do teu blog, sigo :)

nês disse...

De nada linda

catarina disse...

ela estará sempre contigo, em pensamento, estará sempre do teu lado amor.